SARAU DAS LOBAS 2020

da Boaorma (2)

O Sarau das Lobas chega em sua terceira edição em 2020 trazendo diversas ações durante o mês de março, que se estendem este ano até abril. O projeto, idealizado pelo Educativo MAMAM, procura fortalecer e conectar as mulheres artistas do Recife para comemorar o mês de março e discutir sobre o dia Internacional da Mulher, suas lutas e trajetórias. 

PROGRAMAÇÃO SARAU DAS LOBAS – março e abril de 2020

Poesia ancestral: as memórias poéticas nos corpos negros/femininos, com Odailta Alves

Sobre a oficina: Poesia ancestral: as memórias poéticas nos corpos negros/femininos se propõe trabalhar poemas de mulheres negras do Brasil e estrangeiras, refletindo sobre esse local de fala e de construção artística que tantas vezes invisibiliza as mulheres negras. Além de ser um espaço de ter contato com as obras, também é objetivo dessa oficina produzir poemas a partir das memórias de mulheres negras que fizeram parte da vida das participantes do encontro.  

– Leitura e apresentação de escritoras negras;

– Diálogo acerca do processo de escrita da escritora oficineira;

– Dinâmica da associação texto/imagem/título;

– Produção textual a partir da técnica da memória poética do corpo feminino.

– Escritoras negras: Maria Firmina dos Reis; Carolina Maria de Jesus; Vitória de Santa Cruz; Cristiane Sobral;

– A literatura brasileira e a representatividade da mulher negra;

– Os processos de Escrevivências.

Público-alvo: Mulheres – todas.

Datas: 21 de março – 13h às 18h

INSCRIÇÕES:

R$30,00

Banco do Brasil

Odailta Alves da Silva

Agência 3242-5

Conta corrente 27830-0

OBS: É preciso realizar o depósito e enviar o comprovante para educmamam@gmail.com, indicando nome, e-mail e telefone da participante.

Link de acesso para concorrer às bolsas: 

https://forms.gle/tKSDi1bErDRZXfWT9

Sobre a ministrante: possui Mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Pernambuco, especialização em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Portuguesa, pela Faculdade Frassinetti do Recife; e graduação em Letras, pela Universidade Salgado de Oliveira. Desenvolve estudos sobre as opressões de Gênero e Raça e como enfrentar o racismo por meio da arte, em particular, a Literatura e o teatro. É professora formadora acerca da temática da Educação étnico-racial e viaja o país participando de eventos voltados às temáticas de negritude, dialogando, recitando e dramatizando. 

 

Livretos Ilustrados em Serigrafia Artesanal, com Magú

Sobre a oficina: nesta oficina de quatro dias vamos mergulhar no mundo dos livretos ilustrados em serigrafia Artesanal! As participantes irão aprender a criar a matriz serigráfica de forma artesanal, a baixo custo e de forma sustentável. A técnica de serigrafia artesanal é um instrumento auxiliador para quem trabalha nas artes visuais desenvolvendo desenhos e pinturas. Esta técnica também abraça aos que tem o desejo de iniciar ou aperfeiçoar a pratica do desenho e pintura a mão livre. Para além da técnica de criação e impressão serigráfica, o curso se volta para a produção de livros ilustrados artesanais focado no resgate de memórias afetivas das participantes, trazendo também uma atenção especial às editoras cartoneras e aos pequenos(as) produtores de livros artesanais, como forma de capacitar e facilitar o trabalho de impressão em série, tanto quanto de contribuir para autonomia desse meio de produção.

Público-alvo: Mulheres jovens e adultas a partir de 15 anos (exclusiva para mulheres).

Datas: 23, 24, 26 e 27 de março – 14h às 17h

INSCRIÇÕES:

R$80,00

Banco da Caixa – Poupança

agencia 0917

operação 013

conta 088 391-0

Maria Augusta Brandão de Oliveira

OBS: É preciso realizar o depósito e enviar o comprovante para educmamam@gmail.com, indicando nome, e-mail e telefone da participante.

Link de acesso para concorrer às bolsas:

https://forms.gle/Y4BDPUTYo3qj1XzB8

Sobre a ministrante: Magú é Olindense, artista visual e arte educadora há 5 anos. Produz livros artesanais ilustrados sobre memória afetiva e ancestralidade de seu povo afrodescendente e indígena. Na área da educação, trabalha com a serigrafia artesanal na escola municipal Ana Caldas, em sua própria comunidade (Cuieiras- PE) e no Centro Comunitário Mário Andrade (Ibura- PE), como também já ministrou oficinas no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Recife- PE), na Escola Estadual de Arte Educação João Bosco (Paulo Afonso- BA), ONG Caatinga (Ouricuri-PE), CRAS Indígena Aldeia Truká (Cabrobó- PE),  Associação Agroecológica Agrodóia (Exu-PE), Escola Municipal João Grande (Ponta da Serra- CE), ONG Verde e Vida (Catingueira- CE), Instituto Casa Grande (Nova Olinda- CE), Colônia de Pescadores do Cumbuco (Cumbuco- CE), dentre outros espaços. Também é professora de tecido acrobático, e desde 2017 realiza um projeto chamado Tecitura, onde utiliza o tecido como instrumento de autocuidado e empoderamento para as mulheres, desenvolvendo o autoconhecimento e a autonomia, a partir de dinâmicas e jogos corporais. Trabalhou durante 2 anos na Rádio Comunitária Aconchego (Engenho do meio- PE) e juntamente ao coletivo ministrava oficinas de comunicação comunitária. Produziu mini-documentários em áudios sobre as mulheres usuárias do serviço integrado de saúde- SIS, onde está localizada a rádio.

 

O cineclube que quero na minha comunidade, com Amanda Ramos

Sobre a oficina: “O cineclube que quero na minha comunidade” tem o intuito de estimular e desenvolver propostas de espaços de fruição e reflexão acerca do audiovisual em comunidades, escolas e nos mais diversos espaços coletivos. Durante os encontros, as participantes conhecerão diferentes formas de organização de cineclubes e as fases necessárias para a realização de uma sessão cineclubista. Assim também pretendemos despertar para a importância das reflexões coletivas, críticas, conscientes e cidadãs acerca da realidade em que estamos inseridas. É direcionada para Mulheres cinéfilas, produtoras culturais, agentes sociais, trabalhadoras da educação, integrantes de Pontos de Cultura, estudantes e todas as interessadas em desenvolver ou aperfeiçoar um cineclube em sua comunidade.

 Parte I | Dia 24/03/20

– O que é cineclube?

– Breve histórico em Pernambuco e no Brasil;

– A importância formativa do cineclubismo;

– A FEPEC e outras entidades Representativas para o Movimento;

– A estrutura básica de um cineclube.

Sessão e debate sobre os curtas assistidos.

Parte II | Dia 25/03/20

– Estudo de casos de cineclubes;

– A prática dos equipamentos (projetor, som, telão etc);

– Como montar e manter a programação; curadoria;

– Comunicação, acervo e memória;

– Incentivo a reflexão sobre os filmes assistidos; Como iniciar um debate?

– Como integrar a comunidade;

Sessão e debate sobre os curtas assistidos.

Parte III | Dia 26/03/20

– Laboratório cineclubista: desenvolvendo as propostas de cineclubes das/os participantes;

– Planejamento para a sessão de culminância e aberta ao público.

Sessão e debate sobre os curtas assistidos.

Parte IV | Dia 04/04/20

Realização da sessão aberta ao público, dentro da programação da culminância do Sarau das Lobas.

Público-alvo: Mulheres com faixa etária a partir de 16 anos (exclusiva para mulheres).

Datas: 24, 25, 26 de março e *04 de abril* – 18h30 às 21h30

INSCRIÇÕES:

R$30,00

Amanda Ramos Alves dos Santos

BANCO DO BRASIL

Agência: 4274-9

Conta-Corrente: 12.944-5

OBS: É preciso realizar o depósito e enviar o comprovante para educmamam@gmail.com, indicando nome, e-mail e telefone da participante.

Link de acesso para concorrer às bolsas:

https://forms.gle/quFHSPnsFHkDkLxz7

Sobre a ministrante: bacharela em Ciências Sociais (UFRPE), cursando especialização em Educação Ambiental e Cultural (IFPE). Dedica-se ao audiovisual desde 2007, primeiramente atuando como cineclubista e em seguida trabalhando como produtora ou curadora em festivais e mostras de cinema. Em 2009 fez o curso de capacitação de instrutores do Programa Cine Mais Cultura, do Governo Federal, e desde então tem ministrado oficinas de formação de cineclubes e palestras relacionadas ao tema em escolas, entidades sociais e municípios de Pernambuco. Além destas, ministrou as oficinas do Ciclo de Capacitações do Edital Funcultura Audiovisual (2018), do Governo de Pernambuco, e foi coordenadora pedagógica da Periférica – Mostra de Cinema de Camaragibe (2019).

Coordenou os cineclubes AZouganda (Nazaré da Mata) e Banquete (Recife), integrou a equipe do Curta Doze e Meia (Centro Cultural Correios) e contribuiu com as curadorias dos cineclubes VouVer Filmes (Instituto dos Cegos de PE) e CasaFarol (Amaro Branco, Olinda). Uma das membras-fundadoras da Federação Pernambucana de Cineclubes – FEPEC (2008), compôs a primeira diretoria da entidade e foi conselheira fiscal entre os anos de 2014 e 2017; contribuiu para as execuções de diversas atividades vinculadas à instituição até janeiro de 2020.

Na curadoria de filmes trabalhou em projetos como o cineCabeça (2010), Às Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível, Semana Arte Mulher, Curta na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre e na Periférica – Mostra de Cinema de Camaragibe. Também participou da equipe curatorial de mostras competitivas de festivais, como o Festival de Cinema de Triunfo (2016 e 2019), o Festival de Curtas de Pernambuco – FestCine (2017) e o Curta Taquary – Festival Internacional de Curtas-metragens (2018 e 2019). Integrou júris de mostras competitivas em diversos festivais de cinema.

Na produção compôs a equipe de mostras, como a Canavial de Cinema (2011), Incenso na Escola, Cinema na Estrada (2016), Mostra de Cinema do Festival de Inverno de Garanhuns (2016 e 2017), Poesia na Tela, e coordena há anos equipes em festivais, a exemplo do Curta Taquary e Festival de Cinema de Triunfo. Colaborou para a discussão e elaboração de políticas públicas de cultura em Pernambuco entre os anos de 2009 e 2011 representando a área de audiovisual na Comissão Regional de Cultura da Mata Norte de PE e de 2016 a janeiro de 2020 como membra da sociedade civil no Conselho Consultivo do Audiovisual de PE.

 

Culminância – SARAU DAS LOBAS – 04 de abril, a partir das 14h

Siba Carvalho @sibacarvalho

Dj Punny @djpunny

Monique Xavier @sagradeselvagem

Cicília Reis @negafujona

 + Feirinha, bazar e resultado das oficinas realizadas em março, entre outras apresentações.

  • Acompanhe nossas redes e fique por dentro das novidades da nossa programação: @mamamrecife

Serviço:

04 de abril, a partir das 14h

Gratuito

Rua da Aurora, 265

 

Mostra reúne o trabalho de 9 artistas brasileiros e alemães no MAMAM

Iniciando seu ciclo de exposições de 2020, o Museu recebe o Atelier Aberto do projeto Completely Knocked Down – Conexão Recife Bremen,  para construir um espaço de diálogo sobre o impacto físico de um mundo globalizado e digitalizado.

Com o objetivo de difundir no cenário internacional os artistas brasileiros e promover o intercâmbio de ideias com artistas alemães, no próximo dia 18 de março, às 19h, acontece a abertura oficial da mostra  “CKD – Completely Knocked Down”. A iniciativa reúne 5 artistas visuais de Recife, Brasil, e 4 de Bremen, Alemanha, respectivamente: Francisco Valenca Vaz, Marcio Almeida, Maria do Carmo Nino, Paulo Bruscky, Silvio Hansen, Wolfgang Hainke, Tobias Heine, Rebekka Kronsteiner e Christian Haake. Além das obras individuais, os artistas se reunirão um tempo antes da vernissage para construir um trabalho coletivo, processo que também poderá ser acompanhado pelo público durante o período de montagem.

O nome da mostra  “CKD – Completely Knocked Down” é um termo industrial utilizado para se referir a um kit de peças desmontadas de um produto. A partir deste conceito foi pensada a dinâmica de construção da exposição, onde cada artista selecionou seus próprios trabalhos e os enviou em contêineres, que também foram incorporados à exposição. O projeto tem curadoria artística de Rebekka Kronsteiner e Francisco Valença Vaz.

As pessoas interessadas em acompanhar o processo de montagem da mostra poderão visitar o Museu na quarta (04/03), quinta (05/03), sábado (07/03) e domingo (08/03) das 14h-17h. Após a abertura o horário de visitação segue os seguintes dias e horários: segunda a sexta das 12h-18h e no final de semana de 13h-17h. Ao longo da exposição também serão realizadas outras ações abertas para a participação do público.

Agenda:

03.03 – 08.03 (das 14h-17h) Atelier Aberto

18.03 (19h) ABERTURA DA EXPOSIÇÃO COM PERFORMANCES DE SILVIO HANSEN E PAULO BRUSCKY.

14.03 (15h) CONTÊINER SINFONIA: Com uma caixa de ferramentas, martelos, furadeiras e fitas métricas, os nove artistas envolvidos no projeto realizarão uma ação efêmera na
Local: Avenida Rio Branco – Recife.

20.03 (9h-12h) SEMINÁRIO LEITURA PERFORMANCE: os artistas integrantes da
exposição apresentarão suas posições independentes em um meio híbrido no CAC-
UFPE.
Local: Centro de Artes e Comunicação da UFPE, Av. Arquitetura, s/n – Cidade Universitária.
21.03 (15h) VISITA GUIADA A EXPOSIÇÃO: Os artistas de ambos países conduzirão
uma visita guiada no Museu e conversando com os participantes sobre os desafios do
projeto.

25.03 (15h-17h) A MÍDIA É O MEIO: os idealizadores da exposição, Rebekka Kronsteiner e Francisco Valença Vaz participarão de uma roda de conversa livre, direcionada a
estudantes, artistas e outras pessoas interessadas em movimentar seus projetos
dialogando sobre os caminhos, desafios e ferramentas necessárias.

26.03 (10h) TRABALHOS GRÁFICOS: Wolfgang Hainke apresenta um de seus livros e
discute sobre a influência gráfica impressa em seus trabalhos.

28.03 (15h30) MAMAMAMAMAMAM: Discursos livres, palestras e apresentações carregadas com elementos surpresa.

18.04. (15h) TOUR COM OS ARTISTA: os artistas brasileiros acompanham visitantes em caminhada pelo museu.

03.05 (16h) Lançamento do Catálogo: o último dia da exposição acompanha o
lançamento de um livro de artistas envolvendo trabalhos de todos os envolvidos, junto
com um específico olhar das fotografas Roberta Guimaraes & Hannah Wolf.

Curso “Desafios da Produção Cultural nas Artes Visuais”

curso Luciana Soares

O curso “Desafios da Produção Cultural nas Artes Visuais” busca abordar os desafios da área, o planejamento de ações e construções de parcerias, pensando a produção de exposições e eventos relacionados às artes.

Além disso, a iniciativa também é uma oportunidade de network e troca de experiências entre os profissionais de produção na cidade. A ação é ministrada pela produtora Luciana Soares, que atua na área há mais de 15 anos e que trabalha atualmente como coordenadora do Núcleo do Acervo de Obras de Arte do Instituto Itaú Cultural.


INSCRIÇÕES PELO SYMPLA: https://www.sympla.com.br/desafios-da-producao-cultural-nas-artes-visuais__761265

Curso Desafios da Produção Cultural nas Artes Visuais
Quando: 23/01, das 14h às 18h
Público-alvo: Profissionais e/ou interessados em Gestão Cultural

Cursos e Oficinas de 2020

Corpas que quebram: laboratório de investigação artística, com Mitsy Queiroz
NOVA DATA: 28, 29 e 30 de janeiro – 14h às 18h
Público-alvo: dissidentes sexuais e de gênero a partir dos 18 anos

Inscrição

Sobre a oficina:
Na maturidade da queda, um corpo fragilizado abraça o chão da cozinha. Em cada caco pontiagudo, a ruína de uma forma e o planejamento de retorno desta. O laboratório de investigação poética /corpas que quebram/ é uma partilha de estratégias de sobrevida e articulações para ruína do cistema patriarcal de produção de imagens na fotografia, ao explorar soluções para o esgotamento do programa, exibindo na fragilidade das suas trincas a potencialidade de sua reinvenção.
I. A experiência do corpo sensível entre a queda, a quebra e a ruína;
II. O esgotamento da imagem técnica e as consistências poéticas;

Composta por três encontros, o laboratório visa um espaço de partilha de um processo de investigação poética que encontra no corpo estilhaçado, permissão para entender as capacidades de reinvenção a partir da ruína da forma, onde corpas e aparelho fotográfico simulam estratégias de sobrevida no limite de suas potencialidades.
Compartilharemos as descobertas do processo em dois Atos: I. A queda _ para visualizar os desamparos de um corpo em queda livre; II. A quebra_ para pressionar os limites e descobrir nas ruínas outra possibilidade de corpo.
Serão discutidos alguns marcos teóricos que fundamentam essa investigação poética, bem como exploração dos Atos I e II do processo criativo com aparelhos fotográficos digitais, deixando em aberto ao grupo a proposição de uma síntese compositiva das experiências vivenciadas com o laboratório. Destacaremos dessa maneira, as possibilidades poéticas das funções “Panorâmica” e “Temporizador”, entendendo o texto implícito desses programas e alargando seus limites, um encontro entre aparelho como corpo sensível em relação e corpas na fronteira de suas artificialidades, rupturas e reinvenções.

 

Intercâmbios entre Arte, Psicanálise e Filosofia, com Mário Cysneiros de Oliveira Neto

28, 29 e 30 de janeiro de 2020 – 19h30 às 21h30

Público-alvo: Interessados no debate sobre Arte, Filosofia, Psicanálise e obra do Artista Francisco Brennand. (A partir dos 16 anos)

Inscrições: link

Sobre o curso:

Quais sentimentos são despertados ao se apreciar uma obra de arte? Como o artista cria uma obra? Qual a razão da existência da Arte? Como é a vivência subjetiva do espaço criativo, o atelier? O que é Arte?

Estas são perguntas complexas e certamente não possuem respostas absolutas, universais para todos. Porém, foram estes questionamentos que levaram o psicólogo e músico Mário Cysneiros a percorrer um caminho investigativo, através de especialização e mestrado, sobre os motivos da arte existir. E o presente curso é uma pequena exposição das teorias psicanalíticas e filosóficas trabalhadas pelo psicólogo, bem como um breve relato dos dados colhidos em sua pesquisa junto ao artista Francisco Brennand.

Dia 1 – Subjetividade e criação artística através dos conceitos psicanalíticos ‘Fantasia’ e ‘Sublimação’ em Sigmund Freud e ‘Criatividade’ em Donald Winnicott.

Dia 2 – Francisco Brennand, a Oficina e suas esculturas.

Dia 3 – Arte, contemplação do Belo e elevação para o Transcendente (Platão). Arte e Fogo / Êxtase da alma, transmutação em fogo (Heráclito de Éfeso).

 

Desafios da Produção Cultural nas Artes Visuais, com Luciana Soares

23 de janeiro – 14h às 18h

público-alvo: Profissionais e/ou interessados em Gestão Cultural

Inscrição

Sobre o curso:

Curso direcionado para os produtores da cidade, pensando a produção de exposições e eventos relacionados as artes e a formatação de parcerias. Desafios da área, planejamento das ações e construções de parcerias são os motes deste curso.

Objetivos:

1. Formatação de curso visando o desenvolvimento do profissional, estrutura de planejamento.

2. O curso também oferece uma oportunidade de network e troca de experiências entre os profissionais de produção.
Luciana Soares: O trabalho na área da cultura iniciou no final dos anos 90 como produtora. Após uma relevante temporada atuando nas diversas áreas culturais [cinema, música e artes visuais], iniciei o trabalho na área de gestão, desenvolvimento e gerenciamento de projetos culturais, em importantes Instituições no Brasil e na França. Atualmente atuo como coordenadora do Núcleo do Acervo de Obras de Arte do Itaú Cultural.

Colônia de férias 2020 – Educativo MAMAM

 

Com uma semana inteira de atividades, o Educativo MAMAM convida as crianças para aproveitarem as férias na Colônia de férias do Museu! A programação, que vai do dia 13/01 ao 17/01, conta com 9 oficinas voltadas para a faixa etária de 4 a 10 anos. As inscrições podem ser feitas através do link abaixo:

Colônia de férias 2020 – Educativo MAMAM

https://www.sympla.com.br/colonia-de-ferias-mamam__747610

Programação:

SEGUNDA, 13.01
Redescobrindo cores
A oficina será baseada em mistura de tintas, trazendo o conhecimento de teoria da cor, apresentando as cores primárias e a partir delas mostrar o que podemos criar com novas cores.

Tie Dye
A oficina será realizada em progressão com a oficina “Redescobrindo cores” e trabalhará com os conceitos de cor pigmento e cor luz para as crianças pintaram camisas na técnica tie dye.

 

TERÇA, 14.01

Gestos Conjuntos
A oficina pretende explorar as percepções sensoriais e corpóreas dos participantes, utilizando-se da linguagem da dança e da produção visual através da interação prática entre essas linguagens, refletindo sobre como os movimentos rítmicos do corpo ajudam na criação e percepção de representações gráficas e vice versa.

 

Cores da natureza: corpo em movimento
A oficina propõe a construção de saberes de forma lúdica e conjunta, onde os participantes serão convidados a criar e aprender a partir de cores fornecidas pela natureza, confeccionando seus próprios pigmentos.

QUARTA, 15.01

Ilustrando histórias em gravura
A prática da narração de histórias como forma de conhecimento desencadeia o desenvolvimento da imaginação, da sensibilidade, da criatividade e da linguagem oral e visual. A oficina pretende mostrar as possibilidades do emborrachado na prática da gravura, construindo um livro de narrativas visuais, onde cada um poderá compor uma imagem da parte da história que narrou.

 

Oficina de fantoches
A oficina de fantoches será realizada em progressão com a oficina de criação/contação de história. Após o termino da primeira oficina, onde os participantes criarão uma história e ilustrarão suas cenas em gravuras, serão elaborados fantoches com os personagens da história.

QUINTA, 16.01

Sentindo a arte e tecendo memórias – oficina de encadernação
A oficina pretende realizar a confecção de caderninhos artesanais, despertando a criatividade a partir da música da cultura popular pernambucana e de poesias de nossa região. Serão apresentadas técnicas simples de encadernamento e experimentações com o corpo a partir da dança de nossa cultura regional, identificando memórias e trocando saberes.
SEXTA, 17.01
Estamparia com stencil
Estimularemos a produção de desenhos para as crianças criarem estampas que serão utilizadas na oficina Abayomi.

 

Oficina de bonecas Abayomi
A oficina será realizada em progressão com a oficina de stencil. Irá apresentar a história e importância da simbologia das bonecas Abayomi, se aproximando um pouco da cultura Iorubá, valorizando a produção do seu próprio brinquedo e desenvolvendo a criatividade com o resultado da oficina de estamparia.

COLÔNIA DE FÉRIAS – EDUCATIVO MAMAM
13/01 a 17/01, das 14h – 17h
Faixa Etária: 4 a 10 anos
Informações: educmamam@gmail.com
R$ 50,00 – pacote com todos os dias de oficina ou R$20,00 por dia de oficina (valores por criança).

 

“Oficina aDUBada”, com o produtor musical Buguinha Dub

WhatsApp Image 2019-11-22 at 11.07.41

A “Oficina aDUBada”, ministrada pelo produtor musical Buguinha Dub, traz técnicas simples de gravação e produção musical em home studio com poucos recursos. Durante a atividade os participantes terão a oportunidade de gravar e produzir uma música em uma sala com recursos analógicos e digitais de baixo custo. A ação busca despertar a curiosidade para as possibilidades de produção com uso limitado de tecnologia e em pequenos espaços, construindo um resultado otimizado.

INSCRIÇÕES E FORMULÁRIO DAS BOLSAS NO SYMPLA:
https://www.sympla.com.br/adubada__665497 “Oficina aDUBada”
Data: 04/12, das 14h – 19h
Bolsas: autodeclaração para candidatxs negrxs e indígenas e bolsa social

Oficina “paisagem-página” com Lucas Dupin

paisagem.jpg

Na oficina “paisagem-página”, o artista Lucas Dupin propõe um percurso teórico que tem como ponto de partida e chegada o livro em suas mais diferentes abordagens. Com a proposta de desmaterialização do livro enquanto objeto físico, os encontros trazem uma abordagem metafórica da publicação enquanto dispositivo de escrita e leitura. Os participantes serão convidados a experimentar a criação de “mapas de leitura” a partir do registro fotográfico ou escrito dos entornos do local em que o curso será ministrado.

INSCRIÇÕES PELO SYMPLA:
https://www.sympla.com.br/paisagem-pagina__704584

Curso “Paisagem – página”
Data: 05/12 e 06/12, das 18h às 22h
Público-alvo: artistas visuais, escritorxs, professorxs e interessadxs em explorar o universo do livro para além de sua materialidade.
Bolsas: autodeclaração para candidatxs negrxs e indígenas, bolsa social e LGBTTQIA+