ESTA SEMANA NO MAMAM

EXPOSIÇÃO

5º PRÊMIO MARCANTONIO VILAÇA

marcantonio-rio-960-200416

(Foto: Miguel Ângelo/CNI)

O MAMAM sedia mostra de um dos principais prêmios de arte contemporânea. Obras dos vencedores da 5ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça estarão no Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães. Exposição começa no dia 28 de setembro e encerra no dia 27 de novembro.

O Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas encerra a 5ª edição na cidade de Recife, cidade natal do galerista Marcantonio Vilaça, que dá seu nome à premiação e teve enorme importância para a cultura e a arte brasileiras. Os cinco vencedores do prêmio – Berna Reale (PA), Gê Orthof (DF), Grupo EmpreZa (GO), Nicolás Robbio (SP) e Virgínia de Medeiros (BA) – terão as obras expostas no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), de 28 de setembro a 27 de novembro, encerrando a etapa itinerante da exposição. A visitação é gratuita.

Também estarão expostas nesse mesmo período as obras da homenageada dessa edição, a artista Amelia Toledo. O visitante poderá conhecer ainda o projeto de curadoria vencedor da 5ª edição do prêmio: a mostra “Zona de Perigo”, do goiano Divino Sobral, que tem trabalhos de 12 artistas brasileiros com suas visões sobre criminalidade, violência, segurança e justiça.

Recife, além de ser um dos mais importantes polos brasileiros de cultura e arte contemporânea, é uma das referências da premiação, segundo o curador do Prêmio, Marcus Lontra: “Primeiro, o fato de o Marcantonio Vilaça ser natural da cidade. Também é fato que Pernambuco é uma referência e base da atividade artística no Brasil desde o início da pintura brasileira, com Frans Post retratando Olinda e Recife. Desse modo, podemos dizer que a paisagem pernambucana é a base de toda a pintura brasileira”, ressalta. Lontra também destaca a atividade modernista da cidade, com nomes como Cícero Dias e Vicente do Rego Monteiro. “Recife é, definitivamente, um local onde o debate do contemporâneo se dá de maneira intensa”, diz.

Pai de Marcantonio Vilaça, o ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Marcos Vinicios Rodrigues Vilaça lembra da importância do filho na divulgação de artistas brasileiros no país e no exterior. Ele lembra as influências que o levaram a ser um grande nome da arte contemporânea brasileira. “Ele foi educado sempre com uma atenção voltada às artes plásticas, seja com artistas ceramistas pernambucanos, seja frequentando galerias de arte. Hoje esse reconhecimento de seu legado é algo que traz um conforto”, afirma.

O PRÊMIO – O Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). A ideia é promover a a integração das artes em suas diversas manifestações e fortalecer os acervos públicos brasileiros. A cultura e a arte proporcionam os elementos necessários para o desenvolvimento: geram trabalho, emprego e renda, e são partes cada vez mais importantes da economia.

(Texto Ex Libris)

SERVIÇO:
Mostra do 5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Local: Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM) / Rua da Aurora, 265, Boa Vista – Recife
Visitação pública: 28/09 a 27/11/2016
Horários: terça a sexta-feira – das 12h às 18h
Sábados e domingos – das 13h às 17h
ENTRADA GRATUITA

VISITAÇÃO DAS EXPOSIÇÕES: terça a sexta, das 12h às 18h, e sábado e domingo, das 13h às 17h.
AGENDAMENTOS: as visitas educativas são gratuitas. Agendamento de grupos e escolas pode ser feito através do (81) 3355.6871 ou pelo e-mail educativo@mamam.art.br.

EVENTOS

PROGRAMAÇÃO DO MAMAM NA “SEMANA DA JUVENTUDE”

Oficina de Stencil: Destacando a concepção dos ladrilhos hidráulicos do início do século XX do Mamam.
Facilitadores: Victor Hugor e Marília Matos
Público-alvo: jovens entre 15 e 25 anos
Data: 24.11.16 (quinta-feira)
Horário: das 14h às 16h
GRATUITA

Oficina de Fotografia: pensando a cidade e suas culturas
Facilitador: Thaik Santos
Data: 26.11.16 (sábado)
Horário: das 14h às 15h30
GRATUITA

Oficina de Sketchbook: confecção de caderninhos
Facilitador: Leandro Roberto
Data: 26.11.16 (sábado)
Horário: das 14h às 15h30
GRATUITA

Para inscrições e maiores informações, das oficinas, ligue para o (81) 3355-6871 ou envie um e-mail para educativo@mamam.art.br.

SEXTA DA PESADA, ANO 3

sexta-nov

O QUE É O “SEXTA”?

O prédio centenário que abriga o Mamam foi construído para ser a sede do segundo clube social brasileiro: o Clube Internacional de Regatas do Recife, que nos anos 1920 passou também a realizar bailes sociais.

Retomando essa vocação primeira, criamos o projeto “Clube de Arte Moderna”, que pretende realizar encontros que promovam o diálogo das artes visuais com a gastronomia e a música. O “Sexta da Pesada” será realizado às sextas-feiras com a presença de um artista, a diretora do museu, Beth da Matta (artista, cozinheira e gastrônoma), e um representante da música.

É o ato de comer inaugurando sensações e percepções, num ritual elaborado por artistas convidados, trazendo essa experiência sensorial e a interlocução com outras linguagens artísticas. Com esse diálogo espera-se trazer novos públicos ao espaço do museu e assim proporcionar experiências gastronômico-estéticas.

Durante o evento, estará aberta ao público a mostra “5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas”.

SERVIÇO:
Sexta da Pesada, ano 3
Data: 25/11
Horário: 16h às 22h
Endereço: entrada pela Rua da Aurora, 265, Boa Vista até às 20h ou entrada pela Rua da União, 88, Boa Vista, até às 21h30
ENTRADA GRATUITA

Apoio:
Jack Daniel’s e Sol

Anúncios

ESTA SEMANA NO MAMAM

EXPOSIÇÃO

5º PRÊMIO MARCANTONIO VILAÇA

marcantoniovilaca

(Foto: Renato Medeiros Cordeiro)

O MAMAM sedia mostra de um dos principais prêmios de arte contemporânea. Obras dos vencedores da 5ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça estarão no Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães. Exposição começa no dia 28 de setembro e encerra no dia 27 de novembro.

O Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas encerra a 5ª edição na cidade de Recife, cidade natal do galerista Marcantonio Vilaça, que dá seu nome à premiação e teve enorme importância para a cultura e a arte brasileiras. Os cinco vencedores do prêmio – Berna Reale (PA), Gê Orthof (DF), Grupo EmpreZa (GO), Nicolás Robbio (SP) e Virgínia de Medeiros (BA) – terão as obras expostas no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), de 28 de setembro a 27 de novembro, encerrando a etapa itinerante da exposição. A visitação é gratuita.

Também estarão expostas nesse mesmo período as obras da homenageada dessa edição, a artista Amelia Toledo. O visitante poderá conhecer ainda o projeto de curadoria vencedor da 5ª edição do prêmio: a mostra “Zona de Perigo”, do goiano Divino Sobral, que tem trabalhos de 12 artistas brasileiros com suas visões sobre criminalidade, violência, segurança e justiça.

Recife, além de ser um dos mais importantes polos brasileiros de cultura e arte contemporânea, é uma das referências da premiação, segundo o curador do Prêmio, Marcus Lontra: “Primeiro, o fato de o Marcantonio Vilaça ser natural da cidade. Também é fato que Pernambuco é uma referência e base da atividade artística no Brasil desde o início da pintura brasileira, com Frans Post retratando Olinda e Recife. Desse modo, podemos dizer que a paisagem pernambucana é a base de toda a pintura brasileira”, ressalta. Lontra também destaca a atividade modernista da cidade, com nomes como Cícero Dias e Vicente do Rego Monteiro. “Recife é, definitivamente, um local onde o debate do contemporâneo se dá de maneira intensa”, diz.

Pai de Marcantonio Vilaça, o ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Marcos Vinicios Rodrigues Vilaça lembra da importância do filho na divulgação de artistas brasileiros no país e no exterior. Ele lembra as influências que o levaram a ser um grande nome da arte contemporânea brasileira. “Ele foi educado sempre com uma atenção voltada às artes plásticas, seja com artistas ceramistas pernambucanos, seja frequentando galerias de arte. Hoje esse reconhecimento de seu legado é algo que traz um conforto”, afirma.

O PRÊMIO – O Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). A ideia é promover a a integração das artes em suas diversas manifestações e fortalecer os acervos públicos brasileiros. A cultura e a arte proporcionam os elementos necessários para o desenvolvimento: geram trabalho, emprego e renda, e são partes cada vez mais importantes da economia.

(Texto Ex Libris)

SERVIÇO:
Mostra do 5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Local: Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM) / Rua da Aurora, 265, Boa Vista – Recife
Visitação pública: 28/09 a 27/11/2016
Horários: terça a sexta-feira – das 12h às 18h
Sábados e domingos – das 13h às 17h
ENTRADA GRATUITA

VISITAÇÃO DAS EXPOSIÇÕES: terça a sexta, das 12h às 18h, e sábado e domingo, das 13h às 17h.
AGENDAMENTOS: as visitas educativas são gratuitas. Agendamento de grupos e escolas pode ser feito através do (81) 3355.6871 ou pelo e-mail educativo@mamam.art.br.

INSCRIÇÕES CURSOS E OFICINAS

NATUREZA INVENTADA E A POESIA DE MANOEL DE BARROS – OFICINAS PARA CRIANÇAS

14906941_1447776731902580_8451136108705301710_n

OFICINA 01: De voar

Passarinhos e vôos.
Iniciando a aquarela com materiais alternativos e a poética de voar.

Data: 19/11/2016 (sábado)
Horário: das 14h às 17h
Investimento: R$ 60,00 (sessenta reais)

OFICINA 02: De pisar

Pedra, raiz e quintal.
Descobrindo a gravura, carimbos com pedras e a poética de chão.

Data: 20/11/2016
Horário: das 14h às 17h
Investimento: R$ 60,00 (sessenta reais)

Oficineiras: Danielly Guerra e Juliane Xavier
Local: MAMAM (entrada pela Rua da Aurora, 265)
Faixa etária: a partir de 5 anos
Valor: R$ 60,00 (sessenta reais) cada oficina
Pacote para as duas oficinas: R$ 100,00 (cem reais)

EVENTOS

SEXTA DA PESADA, ANO 3: DUELO DE CHEFES

sexta-novembro

o “happy hour” mais legal da Rua da Aurora.

Sexta da Pesada ano 3

No fogão:
– Beth da Matta
– Cláudia Luna
– Hugo Prouvot

No som:
– Guilherme Gatis

O QUE É O “SEXTA”?

O prédio centenário que abriga o Mamam foi construído para ser a sede do segundo clube social brasileiro: o Clube Internacional de Regatas do Recife, que nos anos 1920 passou também a realizar bailes sociais.

Retomando essa vocação primeira, criamos o projeto “Clube de Arte Moderna”, que pretende realizar encontros que promovam o diálogo das artes visuais com a gastronomia e a música. O “Sexta da Pesada” será realizado às sextas-feiras com a presença de um artista, a diretora do museu, Beth da Matta (artista, cozinheira e gastrônoma), e um representante da música.

É o ato de comer inaugurando sensações e percepções, num ritual elaborado por artistas convidados, trazendo essa experiência sensorial e a interlocução com outras linguagens artísticas. Com esse diálogo espera-se trazer novos públicos ao espaço do museu e assim proporcionar experiências gastronômico-estéticas.

Durante o evento, estará abertura ao público a mostra “5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas”.

SERVIÇO:
Sexta da Pesada, ano 3: Duelo de Chefes
Data: 11/11
Horário: 16h às 22h
Endereço: entrada pela Rua da Aurora, 265, Boa Vista até às 20h ou entrada pela Rua da União, 88, Boa Vista, até às 21h30
ENTRADA GRATUITA

Apoio:
Jack Daniel’s e Sol

Sexta da Pesada, ano 3, no MAMAM

sexta-novembro

o “happy hour” mais legal da Rua da Aurora.

Sexta da Pesada ano 3

No fogão:
– Beth da Matta
– Cláudia Luna
– Hugo Prouvot

No som:
– Guilherme Gatis

O QUE É O “SEXTA”?

O prédio centenário que abriga o Mamam foi construído para ser a sede do segundo clube social brasileiro: o Clube Internacional de Regatas do Recife, que nos anos 1920 passou também a realizar bailes sociais.

Retomando essa vocação primeira, criamos o projeto “Clube de Arte Moderna”, que pretende realizar encontros que promovam o diálogo das artes visuais com a gastronomia e a música. O “Sexta da Pesada” será realizado às sextas-feiras com a presença de um artista, a diretora do museu, Beth da Matta (artista, cozinheira e gastrônoma), e um representante da música.

É o ato de comer inaugurando sensações e percepções, num ritual elaborado por artistas convidados, trazendo essa experiência sensorial e a interlocução com outras linguagens artísticas. Com esse diálogo espera-se trazer novos públicos ao espaço do museu e assim proporcionar experiências gastronômico-estéticas.

Durante o evento, estará abertura ao público a mostra “5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas”. Para maiores informações acesse: https://goo.gl/QvjrpK

ENTRADA GRATUITA

Apoio:
Jack Daniel’s e Sol

ESTA SEMANA NO MAMAM EDIÇÃO #24

FUNCIONAMENTO DO MAMAM ATÉ O DIA 10/03

Devido ao período de montagem da próxima exposição do MAMAM – 1 Dedo de Prosa -, o museu estará fechado para visitação até o dia 10/03, às 19h, data de abertura da mostra (aberta ao público e com entrada gratuita)

PRÓXIMAS EXPOSIÇÕES

1 DEDO DE PROSA CRISTINA HUGGING e MARCELO SILVEIRA

convite_final

O artista plástico pernambucano Marcelo Silveira e a professora e pesquisadora Cristina Huggins assinam novo projeto em parceria: a instalação 1 Dedo de Prosa, que entrará em exposição no salão térreo do Museu da Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM), no Centro do Recife, a partir do próximo dia 10 de março.

A obra é um mobiliário, formado por uma mesa e quatro bancos, que antes de ser exposto no museu foi levado para calçadas e praças de seis bairros de diferentes classes sociais do Recife, provocando reações diversas nos moradores e transeuntes. Toda a interação foi gravada em vídeo e áudio, que serão projetados durante a mostra.

A instalação recebeu incentivo do Funcultura e retrata temas atuais do cotidiano dos grandes centros urbanos, como mobilidade, individualismo e segregação social. Permanecerá em destaque no MAMAM até o dia 10 de abril.

MEMÓRIA DESCRITIVA DA INSTALAÇÃO: Mesa de madeira, com dimensões 60x70x70, sob a qual serão postos quatro bancos, sem espaldar, medindo 35×35. Sob os bancos será colocada uma grade, também de madeira, que servirá para guardar os elementos motivadores da cena, como jarro de planta, dominó, baralho, e o livro Imagens do Recife: ruas, de Josivan Rodrigues. O desenho do mobiliário foi concebido, por um lado para retratar os móveis comumente utilizados pela população e, por outro, para reduzir custos e facilitar o transporte da peça.

SERVIÇO:
1 Dedo de Prosa, de Cristina Huggins e Marcelo Silveira
Abertura: 10 de março, às 19h
Local: MAMAM – Rua da Aurora, 265, Boa Vista, Recife
Visitação: 10 de março a 10 de abril (terça à sexta, das 12h às 18h; e sábado e domingo, das 13h às 17h)

EXPOSIÇÕES QUE CONTINUAM


CLUBE DE ARTE MODERNA
VÁRIOS CONVIDADOS

A exposição Clube de Arte Moderna, que ocupa os 1º e 2º andares do museu.

O casarão do Mamam, que já foi a sede da Prefeitura do Recife, abrigou inicialmente, entre os anos de 1914 e 1937, o Clube Internacional Social e de Regatas do Recife. Retomando sua vocação original, estão todos convidados a exercitar a experiência do sensível perpassando pela história e memória do lugar.

Seremos partícipes essenciais nessa retomada, que, sem dúvida, pede pausa para se relacionar com acontecimentos do porvir e incita, ao conjunto, introjetar e assimilar claramente esse desvio/deslocamento de lugar proposto pelo Clube de Arte Moderna.

Os convidados Dj Dolores, Evandro Q, Renato L, Mabuse e Educativo MAMAM, oferecem-nos ambientes sonoros ativadores dessa experiência.

OLINDA CERZIDA APRIGIO FONSECA e FREDERICO FONSECA

A mostra do vídeo Olinda cerzida, no Aquário Hélio Oiticica – localizado no pátio do MAMAM – continuará em exposição a partir do dia 10/03. Para saber mais acerca do projeto Olinda cerzida leia AQUI.

AGENDAMENTO: as visitas educativas são gratuitas. Agendamento de grupos e escolas pode ser feito através do (81) 3355.6870 ou pelo e-mail educativo@mamam.art.br.

EVENTOS

marçoweb

SEXTA DA PESADA, o “happy hour” mais legal da Rua da Aurora.

Sexta da Pesada ano 3

O QUE É O “SEXTA”?

O prédio centenário que abriga o Mamam foi construído para ser a sede do segundo clube social brasileiro: o Clube Internacional de Regatas do Recife, que nos anos 1920 passou também a realizar bailes sociais.

Retomando essa vocação primeira, criamos o projeto “Clube de Arte Moderna”, que pretende realizar encontros que promovam o diálogo das artes visuais com a gastronomia e a música. O “SEXTA DA PESADA” será realizado às sextas-feiras com a presença de um artista, a diretora do museu, Beth da Matta (artista, cozinheira e gastrônoma), e um representante da música.

É o ato de comer inaugurando sensações e percepções, num ritual elaborado por artistas convidados, trazendo essa experiência sensorial e a interlocução com outras linguagens artísticas. Com esse diálogo espera-se trazer novos públicos ao espaço do museu e assim proporcionar experiências gastronômico-estéticas.

SERVIÇO:
MAMAM – Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães
Rua da União, 88 – Boa Vista
81 3355-6870
ENTRADA GRATUITA

PRÓXIMOS EVENTOS

Antena modelo 1

ANTENA PARAURORA é um projeto cultural realizado pelo Setor de Arte Educação do MAMAM e que une lazer à exibição de produções de artes visuais, gastronomia, moda e música, sempre com curadoria dos educadores/mediadores do museu. O objetivo central é ocupar o espaço do Museu com outras propostas culturais, além das exposições de arte, visando trazer novas experiências para o público que já frequenta o espaço do MAMAM.

Nesta nova edição, o ANTENA tem como mote o lema “não se reprima”, buscando atividades que visam a descontração e a interação entre o público. Para tal teremos como atrações o karaokê, onde cada um poderá revelar para o mundo aquele “super star” que esconde embaixo do chuveiro e o jogo “Just Dance”, para você dançar sem vergonha de ser feliz.

O evento também contará com um brechó e um bazar de artes miúdas, sem falar nas comidinhas, refrigerante, cerveja e “bons drinks”. Confira abaixo mais informações na página do evento no Facebook: AQUI.

SERVIÇO:
MAMAM – Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães
Rua da União, 88 – Boa Vista
81 3355-6870
ENTRADA GRATUITA

PRIMAVERA DOS MUSEUS NO MAMAM!

9 Primavera dos Museus_2015 (1)

Imagem: Divulgação

Na próxima semana, entre os dias 22 e 27 de setembro será realizada a Primavera dos Museus, um evento promovido pelo Ibram, cujo principal objetivo é convidar a população para frequentar os museus. O MAMAM participará com uma programação específica e todos estão convidados.

Confira abaixo a nossa programação:

22/09/2015 – 19h às 20h ABERTURA – Palestra de abertura da Semana da Primavera dos Museus no MAMAM com a Antropóloga Nicole Costa.Tema: Arte de índio, índio na arte: representações indígenas na arte. Entrada gratuita.

23/09/2015 – 14h às 16h ENCONTRO – Encontro com o Acervo do MAMAM pesquisadora Rebeka Monita, junto a equipe de Acervo do MAMAM, abordará nesse encontro a relação Arte Contemporânea-povos indígenas. Entrada gratuita.

24/09/2015 – 14h às 16h OFICINA – A arte-educadora Goretti Varella oferecerá uma Oficina de Grafismos indígenas na arte contemporânea para jovens e adultos. Entrada gratuita.

25/09/2015 – 16h às 22h GASTRONOMIA – Sexta da Pesada – Evento que reúne gastronomia e música no museu. É o ato de comer inaugurando sensações e percepções, em um ritual elaborado por artistas convidados pela Gestora e Chef Beth da Matta. Entrada gratuita.

26/09/2015 – 14h às 15h30 OFICINA – Do Toque ao Ser, é o título da oficina de barro que será ministrada por Raíza Giovana, Mayele Maria e Giselle Natália, integrantes do Educativo MAMAM, para jovens e adultos. Entrada gratuita.

27/09/2015 – 15h às 16h30 OFICINA – A arte-educadora Maria do Carmo Guerra vai oferecer uma oficina de Experimentações com Pigmentos para o público infantil (de 4 a 7 anos). Entrada gratuita.

Segue o link com a programação completa do evento:
http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2015/09/Guia_9PM_11set.pdf

ESTA SEMANA NO MAMAM! – EDIÇÃO #03

EXPOSIÇÕES

11822938_952771708112353_7856258025316413269_o (1)

Foto: Homem guarda-chuva, German Lorca

Continuam em cartaz as exposições Inimigos, de Gil Vicente, e Moderna para Sempre: fotografia modernista brasileira na coleção Itaú Cultural.

No salão térreo está sendo exibida a mostra Inimigos do artista Gil Vicente. O Mamam foi vencedor do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça/Funarte 2014 para acervos públicos do Brasil. O incentivo contemplou a série Inimigos, composta por 10 desenhos em carvão sobre papel. Antes de ser premiada, a série foi exibida em Recife, Natal, Campina Grande, Porto Alegre e na 29ª Bienal de São Paulo, em 2010. A mostra ficará em exposição até 16 de fevereiro de 2016.

O 1º e o 2º andares do Mamam estão ocupados pela exposição Moderna para Sempre: Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural.

Depois de passar por dez cidades, incluindo Lima, Cidade do México e Assunção, a mostra itinerante Moderna para sempre chega a Recife com a aquisição de seis obras inéditas. Com curadoria de Iatã Cannabrava e projeto expográfico do arquiteto Frederico Teixeira, a exposição conta com a coleção completa de fotografia modernista da Coleção Itaú Cultural – 130 fotografias. São obras que remetem ao movimento modernista das décadas de 1940 a 1970, de nomes como José Yalenti, José Oiticica Filho, Geraldo de Barros, Marcel Giró, Thomaz Farkas, German Lorca, Ademar Manarini e Paulo Pires, pensadas para dar visibilidade à vertente fotográfica da coleção, que soma hoje aproximadamente 12 mil itens. A mostra ficará em exposição até 18 de outubro de 2015.

* Agendamento gratuito de grupos e escolas, com o Setor Educativo, através do (81) 3355.6870 ou pelo e-mail educativo@mamam.art.br.

EVENTOS

sextadapesada

Foto: Divulgação

Sexta da Pesada ano 2: múltiplos de artistas e cozinheiros no Mamam

Esta edição do Sexta da Pesada contará com o lançamento do projeto Múltiplos no Mamam, que tem como proposta expandir e facilitar o acesso a produção artística local de referência, estimulando o colecionismo e a circulação de obras de arte em Pernambuco. O múltiplo de arte é uma tiragem – ilimitada ou não – de um determinado trabalho assinado pelo artista que devido ao seu caráter de reprodutibilidade torna o preço da obra reduzido, diferente das obras únicas. Dentre as infinitas possibilidades de suporte, o múltiplo pode ser uma gravura, uma fotografia, um livro, uma escultura ou qualquer outro objeto.

No fogão:
Beth da Matta
Daniel Santiago
Gil Vicente
Marcelo Silveira
Márcio Almeida
Martinho Patrício
Paulo Bruscky
Paulo Meira

No som:
Justino Passos

SETOR EDUCATIVO

cartaz bula

Imagem: Divulgação